Twitter Feed Facebook Google Plus Youtube

14 outubro, 2015

É permitido! Corrupção, roubos e crimes de responsabilidade.



CONSOLIDAÇÃO

















 apesar de voce

Guerra apaziguada. Exércitos em repouso, negociações em curso e concluídas. Partes a espera de reforços que não chegam e nem aparentam chegar. É uma conquista fenomenal, o estado não permite.

A sensação de dever cumprido de alguns sobrepõe a decepção e a derrota. O velho general venceu mais uma, na sua longa carreira de vencer o invencível, de sobrepujar sobre a lei e a ordem. Conhecedor das fraquezas humanas, há quem lhe ajude, há quem lhe admire e conduza as coisas na direção certa do pagamento da propina, das facilidades, da compra espúria de opinião, na resolução de impasses.

E justamente por utilizar tão bem de pessoas não boas é que a nova crise já instalada apenas aguarda para romper. Aos velhos inimigos de sempre e como sempre apenas entregou problemas. As secretarias negociadas estão com sérios problemas de orçamento e caixa. Há excessiva vigilância do núcleo interno de governo. E há mobilização para não permitir mais roubalheira.

Assim, logo os incautos negociadores verão que trocaram gato por lebre. Não receberam o prometido e mesmo se, não há tempo hábil para recuperar as perdas. A insatisfação aliada a sensação de engodo fará recrudescer a revolta.

E mesmo o velho dirigente não suportará a presença do novo prefeito, não  eleito e que saiu de dentro de sua casa, Vanterlor. Agindo como prefeito porque é esta a ação necessária, vai esbarrar  no mesmo problema que Gilmar e Mauro Santos esbarraram: a teimosia e falta de preparo de Valmir da Integral.

Não é uma derrota, nem motivo para retirar os soldados. A guerra continua. Apenas uma pequena trégua até o próximo impasse imobilizar o já natimorto desgoverno. 

Questão de tempo.