Twitter Feed Facebook Google Plus Youtube

29 setembro, 2016

Democracia é voto livre



PREFEITO E VEREADORES, PRA QUE VOTAR?
Ou como nascem as serpentes












Grupos políticos estão comprando abertamente votos a cem reais. Míseros cem reais, em troca de um mandato de quatro anos e muita roubalheira e armação. Os políticos se tornaram os piratas modernos, maquiando suas funções e a lei em prol de si mesmo.

Do outro lado os condutores, pagando o preço cobrado, em silencio. Eleitores miseráveis e ignorantes, perfilando-se em intermináveis filas para exercerem o “direto de escolha de seus representantes”. Asno. Ânsias de vômito. Essa é a “democracia” ocidental.

De um lado majoritariamente homens brancos e do outros pequenos seres servis e mudos. No cenário a explicita autorização para a sacanagem e o engodo. Não há questionamentos e se surgirem a “força”, a “ordem e o progresso” os silenciará, num piscar de olhos.

O agora amigo de tapinha das costas e de abraços fraternos é o algoz de daqui a pouco, agorinha mesmo, se esgueirando por corredores e salas com duplas saídas e falsas seções. É o tipificado império da mentira e do cinismo e como chegamos a isso, cidadãos que trabalham e se portam dentro dos rígidos padrões da honestidade e da prestação correta de impostos e comportamentos?

Qual a magia que seres – tais como os conhecemos hoje, Valmir da Integral, Braz, Josineto, Miquinhas, Euzébio, Pavão e outros, se tornaram no que são, em pérfidas figuras? Foram sempre homens ou se tornaram feras?

De qualquer forma construímos esses monstros. Foram gestados e paridos por nós, todos nós que fizemos coro e repetimos mantras, que os elegemos e os adoramos. Que merda, diria. Mas parimos esses sacripantas mentirosos!

E estamos prontos para mais uma ninhada. Logo novos seres se apresentarão, logo dia três, estarão sendo chocados os novos ovos da serpente. Com cara de bonzinhos e ainda trêmulos, logo se firmando vilões e canalhas, tais como os criamos na gestação.

Não haverá natal nem ano novo. Não há transformação, arrependimento ou renovação. 

Tudo se perderá em poucos dias ou meses. Logo aprenderão que aquele dinheiro que lidam não é de ninguém e se apoderarão dele, criação vínculos entre si, não terão culpa ou medo.

Lamentamos.