Twitter Feed Facebook Google Plus Youtube

20 abril, 2016

Corrupção, esta prática criminosa na gestão pública



NELSON MEDRADO  FALA












Mistério. Realmente não entendemos como cidadãos que processos investigativos de desvios de recursos públicos corram em segredo de justiça. É uma injustiça para com cidadãos que trabalham e ao comprar um quilo de arroz, uma camisa barata, paguem até 17% de impostos. 

Impostos pagos para manter uma máquina cruel, monstruosa e corrupta trabalhando contra ele. *

Por estes motivos que apreciamos a matéria feita com Nelson Medrado pelo pessoal do jornal CORREIO e do  SBT Parauapebas.  Parabéns. Medrado precisava falar para alertar aos descrentes, aos que insistem e atribuem superpoderes a Valmir da Integral.

Cometeu crimes de forma clara, consciente e fartamente documentada. Cravou sua sentença justamente por não acreditar nela. Se a presidenta da republica esta sendo julgada, quem dirá um mero prefeito de uma província atrasada do norte do país. E seus asseclas, os que perpetraram e formaram grupo, armaram em silencio contra a sociedade e Parauapebas.

E são numerosos os meliantes, tudo gente boa, titulada, consciente de que fazer o mal rende mais rápido do que o bem. Na liderança, Valmir da Integral.

Mesmo com os escudos formados por Juliana, Shirlean, Ciza, Odilon, Devanir. Mesmo com o escudo autoritário e desafiador da justiça, na imagem de sua filha. Mesmo com o servilismo escrachado dos  puxa-sacos de plantão Valmir terá que pagar um dia pelo que fez e faz. Se não ele, sua família.

E são crimes com investigação concluída, bastando agora a ação da justiça. Os órgãos repressores fizeram bem sua parte, investigaram, apreenderam documentos, exigiram explicações, a sociedade ajudou.


*Vejam hoje o DAM (Departamento de Arrecadação) da PMP (Prefeitura Municipal de Parauapebas) funcionando: um grupo de pessoas perdidas, atrasando a arrecadação do município, cometendo erros primários contra empresários e pessoas que querem e insistem em investir numa cidade em franca extinção.