Twitter Feed Facebook Google Plus Youtube

06 outubro, 2015

São os mesmos motivos, porque razões diferentes?



Mesmas Razões










Nomear filhos ou parentes para cargos públicos todos sabem que é crime. Há vasta legislação, exemplos são dados e seguidos. Serve para todo o país. Mas não serve para Parauapebas ou para o atrasado estado do Pará. Aqui prevalece o poder do capital. Jamais teríamos uma postura do judiciário contra os exacerbados poderes do executivo e mesmo se opondo a sua influencia econômica. Surgem todas as espécies de explicações. Mas o que vale mesmo são as relações de amizade e confiança restrita.


Numa região em que os grupos são fortemente orientados a burlar a lei, com o poder econômico em mãos, torna-se complicado ter alguém ou um juiz ou promotor capaz de por si – ajustar a realidade conforme manda a lei.

Sentenças viram poesia hermenêutica, uns cita Goethe, Hans-Georg Gadamer, outros Friedrich Nietzsche.

Ninguém cita o José, o João, o povo. Os marrons prejudicados, que geram riquezas e são pilhados, definitivamente não conta para a justiça. Que não participam das negociatas e acordos espúrios. Que não adentram os palácios de concreto, aço e vidro que se espalham pelo país, numa pressa do executivo em servir-lhe, visto que o poder final é seu  - Aldo Moro,  Joaquim Barbosa.

Todos comentam que Valmir esta blindado e tem  o judiciário nas mãos. Fazer o que? Se todas as provas foram apresentadas e todas as investigações em andamento ou concluídas, ainda prevalecem os crimes que estão sendo televisamente ajustados no restante do Brasil?
Este link complementa este, acessem e...paciencia.