Twitter Feed Facebook Google Plus Youtube

28 junho, 2015

Sem rumo, Parauapebas espera pela salvação. Enquanto eles discutem reeleição. Pasmem!



COMO VALMIR DA INTEGRAL
CONTINUA PREFEITO DE PARAUAPEBAS?






Talvez por sua resiliência inata, talvez pelo disfarce eficiente, talvez ainda por superpoderes. Porque centenas de prefeitos caíram por muito menos. Por menos  ainda o prefeito de Eldorado dos Carajás foi afastado pela juíza de Curionópolis. Mas Valmir segue em frente, demonstrando claramente total incapacidade de gestão e controle, com serias denuncias e cerrada investigação sobre seu governo. Mas tem o tempo da justiça. Vamos esperar.









Ninguém entende como uma gestão tresloucada desse nível ainda continue a mandar no destino de Parauapebas.  Este desgoverno foi alvo de duas operações da PF, uma mega operação do GAECO na qual a residência do prefeito foi invadida e ele rendido,  foram presos duas autoridades e um empresário e toneladas de documentos, com ampla cobertura local e nacional.


As evidencias são impressionantes. Toda a documentação das denúncias são copias dos contratos e processos gerados ora na licitação, ora na procuradoria e ora na secretaria de finanças. A estrutura de governo é montada sobre a família do prefeito – a secretaria de planejamento e chefe da licitação é sua filha. Seu filho é dono de toda a atividade de informática da prefeitura, utilizando laranjas e nas suas secretarias, diversos ex-funcionários da Integral. É impressionante o desmando e o descalabro que ocorre na cidade.

Todas as obras estão paradas, a coleta de lixo é inexistente.  Por toda a cidade vias estão intrafegáveis, não há intenção ou ordem para qualquer serviço porque as contas da prefeitura estão zeradas, segundo informação dos bancos. Será que realmente estão zeradas? Parece impossível, haja visto os repasses federais, ICMS corrente, ISS e CEFEM.  Pode ter reduzido bastante, mas que se tem dinheiro, isso tem.


Não há decisões de gabinete. O prefeito e seus asseclas apenas aguardam o contracheque no final do mês e ainda retiram o que pode. A secretaria de finanças – dona de um esquema dos tempos do Darci, é quem decide hoje a quem pagar. E tira o seu desse poder também.

O Diário on Line estimou os desvios em 200 milhões de reais. Discordo. Ao analisar as receitas de 2013 e 2014 e auditar os pagamentos, vai-se encontrar um rombo de até 600 milhões, sem exageros. Levando em consideração a receita orçamentaria de 1,6 bilhão em 2013 e 1,2 bilhão em 2014, perguntamos todos onde foi parar tanto dinheiro? Cadê as obras e os pagamentos que consumiram tantos recursos líquidos. Não podemos perder de vista a suplementação pedido a  Câmara de 611 milhões e prontamente atendida. Ali já sabíamos não ter saldos para suplementação, mas o executivo tinha expectativa de conseguir estes recursos.


Esta operação do MPE e GAEGO foi realizada em duas frentes: uma focada nas denuncias da Prefeitura e outra nas denuncias e investigações da Câmara dos Vereadores. Acontece que por ser menor e ter começado antes, as denuncias do legislativo tinha mandatos de prisão, tinha alvos definidos.


A roubalheira do executivo é mais embaixo, maior, mais comprometedora. Assistiremos ainda a uma devassa com prisões. São tantos ladrões e gatunos que veremos diligencia de criminosos sendo presos. 
 
O que mais preocupa é a paralisa deformante da gestão. Para se ter uma ideia, o Departamento de Arrecadação esta sem responsável há quase um ano. Ali ficou impossível conseguir sequer um alvará de funcionamento. São tantas exigências desencontradas e estapafúrdias que o cidadão empreendedor  fica na expectativa de que será pedido uma propina para resolver seu assunto. Nega-se alvará porque não se tem computador no ambiente, porque esta em reforma ou construção ou mesmo porque se inventa na hora uma razão, um documento, uma permissiva. É tanto o absurdo que empresas estão abandonando a possibilidade de se instalarem na cidade. E a arrecadação, em queda livre.

E assim vai-se verificar o mesmo problema na área da saúde – onde uma simples consulta vira um pesadelo. Não há medicamentos, não há médicos confiáveis, não há horários obedecidos, cirurgias, nada.

Na educação os acidentes, a falta de compromisso social, a responsabilidade pelas crianças é constantemente justificada sempre após a tragédia acontecida. Não há responsável por nada, tudo acontece ao acaso e até motoristas definem horários e lotação de seus veículos escolares.

Na administração, na Assistência Social, na Segurança Institucional não há nada. Apenas a Diretoria de Comunicação parece funcionar com propaganda e mais propaganda, escamoteando ou tentando escamotear os fatos que todos sabem: não há governo! Acabou. Todos estão perplexos a esperar o ultimo assalto. Impressionante Valmir ainda pensar em imagem, em reeleição, em findar seu mandato. Este é o pior acerto, a cidade pode acabar antes.

Defendemos a posse imediata de Ângela Pereira porque é a manutenção da lei e de poder legítimos. Jovem e mulher poderá dominar a situação e reverter o caos rapidamente. Reorientar a sociedade e colocar a cidade novamente nos trilhos, dando ouvidos, cuidando e respondendo integralmente e com responsabilidade pela recondução dos fatos e eventos nos seus devidos trilhos, Ângela poderá e sei que ela quer, passar à historia como uma mulher de fibra e com ampla visão de gestão. Para isto Valmir da Integral precisa ser preso e afastado do cargo – é o que esperamos frente a tantas provas e denuncias e a nossa fé na moral e técnica do procurador Nelson Medrado e na justiça paraense.

É um governo sob graves suspeições e severas investigações. Há secretários que estão sendo investigados, chamados e ouvidos por até oito horas por dia. E isto quase todos os  dias da semana. A documentação apreendida na casa do prefeito e nas secretarias foram distribuídas por três órgãos de fiscalização distintos. Esperamos que o Tribunal de Contas dos Municípios, antes tão próximo do governo – agora possa fazer realmente seu trabalho e se redimir. Não esquecemos que o vereador Josineto afirmava que seu principal  consultor era  o Zeca Araújo. O mesmo Zeca que recentemente elegeu seu filho deputado estadual com a ajuda de tantos políticos locais. Há a historia do mensalinho do Tribunal de Contas que precisa ser investigado. Foi este tribunal que impediu Valmir de contratar a substituta da Clean em 2013, levando Parauapebas a sujeira e emporcalhamento atual.


Há provas inequívocas de desvio de dinheiro publico e tudo salta aos olhos e não resiste a uma hora de auditoria. Uma quadrilha destemida tomou de assalto os cofres de Parauapebas. E claro que há dinheiro, a folha mensal esta sendo paga, novos funcionários estão sendo contratados. A pergunta que fica é quem esta decidindo esconder o dinheiro, quem esta determinando os pagamentos. Sabemos que não é mais Valmir, ele apenas cumpre  uma função decorativa. Não tem mais moral ou voz ativa nos destinos de Parauapebas. Segura algumas situações para não perder o foco e assinar documentos. Finalmente sucumbe a sua ignorância da coisa publica.

Há rumores de ameaças a vida de pessoas no gabinete. O tresloucado Gilmar anda vociferando ameaças de ceifar mais vidas, o que é um risco. Este Gilmar é de Belém, não conhece as regras locais. Enriqueceu aqui, quando chefe do DAM,  é ele quem plantou a ingerência e a imobilidade naquele departamento que funcionava nos tempos de Bel e Darci. Não  deveria estar ameaçando pessoas locais, sendo um alienígena e estando ainda de favores ao  governador e ao Mauro Santos, advogado e empreendedor com tantos interesses locais. Está  descontrolado o Gilmar e precisa ser retirado daqui urgentemente. Não ajuda, não pode fazer mais nada.

O grupo do PSD esta em busca do sucessor do Valmir. Gesmar, persona non grata para Valmir não se cogita nesta linha. Estão em busca de alguém com reserva moral.

Mas não parece incrível que estes cínicos ainda pensem em reeleição? Não parece incrível que acreditem tanto na impunidade e tenham ainda tanta certeza que são intocáveis. Mesmo depois da invasão da casa do prefeito, a maior autoridade do município, a busca e apreensão de documentos, a desmoralização de tantas investigações e buscas recorrentes de documentos, prisões? O que esta pessoal esta esperando mesmo? Deveriam entregar os anéis. Mas estão apostando os dedos, é assim a  truculência dessa quadrilha. Não acreditam na possibilidade de virem a ser punidos.