Twitter Feed Facebook Google Plus Youtube

16 abril, 2015

Parauapebas continua sob a escuridão. Uma gestão que martiriza,humilha e destrói a comunidade.

Sob o domínio do mal

Uma sociedade corrupta e pronta para aderir ao mal feito, a tirar proveito de fraquezas, de mal caratismo e poder absoluto, de gastar sem prestar contas, DE FAZER DE CONTA e enganar.










NESTA madrugada de chuva quedo a pensar, imaginar e tentar entender como um governo  pode se tornar tão canalha, tão incompetente, tão incapaz em gerir 3,2 bilhões de reais, 1,06 bilhão de dólares a ponto de deixar a cidade sem internet, sem hospitais, sem obras, sem esperança, descrente e de cabeça para baixo. Como aconteceu a tragédia e como estamos pasmos, assistindo os desatinos da justiça local que não decide contra, apenas a favor ou protelando, a PF tão eficiente nos estados do sul, o MPF que as vezes funciona, a policia que também as vezes e seletivamente funciona? Estamos tendo o desprazer de fazer a mesma lição de casa: cadeia, policia, “justiça” apenas para os deserdados, os marrons, os fracos e naturalmente oprimidos.  Mas como chegamos  a esta situação, a ponto de vermos pessoas até então vistas como decentes, tais como Wagner, Horácio, Brás, João do Feijão, se mostrarem cruéis a ponto de não se importarem de servir ao diabo, ao mal absoluto?



E a sociedade civil organizada, hoje nem sei mais o que é isto, tipo ACIP, CDL, Maçonaria. Associações esportivas e culturais, aldeias indígenas, esportistas, sindicalistas e toda a sorte de istas, se unirem para apoiar e defender um bando de ladrões que desrespeitosamente tomaram de assalto a cidade mais rica do pobre e desestruturado estado do Pará, que insiste numa disputa com o Maranhão no lugar de quem é mais pobre, mais fraco, com IDH pior? Não pelo povo de ambos, heróis, batalhadores, mas pela classe politica e empresarial, glutões de tostões e vinténs, irresponsáveis e moleques na sua malandragem de lava jato. Mas estes estados não são a Petrobras, tem PIB muito menor, tem problemas muito maiores, talvez dai a “justiça” não se importar, a “policia” não estar nem ai, o MP fechar olhos e ouvidos e a imprensa, a grande imprensa nem se tocar, nem perceber que algo esta muito errado, fora de ordem, sem lugar num ambiente de milhões, de toneladas e toneladas de ouro, de ferro, de nióbio, de cobre, de maior  volume de exportações da “amada pátria”  brasileira. Não, aparentemente ninguém quer enfrentar o bando,  uma quadrilha maior, melhor e talvez mais eficiente que os bilionários fraudadores da Petrobras. Também roubaram as claras, mas no estado do Pará, ah, quem vai ligar? É dinheiro de ninguém mesmo... mas são apenas aparências, o caldeirão esta fervendo!

Valmir deu a volta por cima. Valmir resolveu tudo. Valmir anulou todas as ações contra ele. Valmir recuperou terreno. Os roubos e crimes perpetrados pela turma de Valmir serão perdoados. A contabilidade apagada e reescrita, os agentes serão silenciados com muito dinheiro e tudo será como antes. Valmir da Integral não tem passado, não tem historia, não tem família ou filhos. Tem apenas o presente degringolado e autoritário. Tudo acontece sob sua batuta e ele ainda não é culpado. Tsssts. Aguardem. Valmir e seu bando serão presos. Responderão na justiça pelos crimes cometidos. Não há negociação possível para crimes tão visíveis e tão hediondos. Agiram as claras e deverão pagar. Não passará mais. A própria justiça, os órgãos de controle não vão se expor para salvar a pele ou o mandato de Valmir da Integral com suas ações desafiadoras da lei e da ordem. Ainda não há permissão para desobediência as leis e constituição do país. Não há nenhuma reversão, nada foi apagado. É o tempo. O tempo, o tempo.... e

Vamos voltar ao tempo. Somos prisioneiros dele e não adianta protestar. Voltemos  em 2013, quando o desatino começou. Os personagens foram se apresentando, cada qual com enredo e desgraça maiores, primeiro Gláucia Furação, Vanterlor ( qual arlequim servindo três senhores e ninguém ao mesmo tempo), depois Odilon, depois Joseneto, Jose de Fátima, Vander Nepomuceno, Gesmar,  Marconi, Marconão, Devanir, Célio Costa, Dr. Rômulo, Geiza, Agenor, Major, Zé Rinaldo, Queiroga e tantos outros diabos que nem lembramos,  nem damos conta de enumerar todo o perjúrio, toda a desgraça semeada por todos devido a nomeações e expensas do Sr. Valmir da Integral.  Ficamos mais pobres, menos motivados, mas a desgraça continuava a mostrar sua cara, a dar cartas, com a agencia Ômega, contraceptivos, com o lixo, a Usimig, a Ômega e os tanques da SAAEP, terrenos do Ávila, da Nova Carajás,  com golpes pequenos e toda sorte de malandragem e desprezo por pessoas e comunidade. Assim, a cada  dia da historia mais armações eram perpetradas através de Hamilton Ribeiro, da Construtora Sucesso,  da própria VALE ao exigir a desnecessária duplicação da PA, a iniciar trabalhos em parceria com a tresloucada gestão e não concluir, a  aproveitar da situação de caos e meter seus trilhos dentro da planta urbana de forma acintosa e desnecessária.


Quando já tínhamos visto tudo, vem a campanha de Gesmar e um novo circo, piorado,  é colocado em cena com a urgência de elege-lo. Deixando de lado o melhor candidato, o popular e atuante secretario de agricultura Horácio, que desapareceu, se enfurnou e se manteve até hoje.  No seu silencio covarde ou servil, não importa, se mantem mesmo preterido. Assim a campanha de Gesmar controlou a cena politica, sendo gasto mais de 10 milhões dos cofres públicos de Parauapebas. Toda sorte de falcatruas em nome da eleição de Gesmar foram cometidos: patrocínio de almoços, cestas básicas, festas com patrocinados, desfiles, doação de alimentos, pagamentos a eleitores, utilização da maquina de forma desprezível para eleger o candidato de Valmir da Integral. E do governador de Valmir da Integral. E do senador de Valmir da Integral. E do filho de Valmir da Integral suplente de Senador! Mais alguns milhões são arrancados da campanha de vacinação, da construção e aparelhamento de postos de saúde, da construção de habitações populares para a eleição de homens e pessoas que nem nos conhecem. Até um helicóptero publico veio de Belém apanhar Valmir para festividades  do governador que descobriu ter um tolo, arrogante e ignorante prefeito que se achava com direitos e poderes de divindade Rosacruz.

Ninguém foi eleito. Apenas Jatene se elegeu e logo de cara deu o troco. Cortou a participação no ICMS de Parauapebas e sistematizou um orçamento estadual em que 80 ! % é focado na área metropolitana de Belém. Ou seja, nem ai para o interior do rico estado do Para. Não bastando isto, com a derrota vergonhosa de todos, Valmir aproveita para vingar-se de Gesmar, cortando tudo, não o recebendo e deixando as contas de campanha sob sua responsabilidade. Até hoje não sei, mas acredito que Valmir quis a destruição politica de Gesmar, ciumento e besta que é. Deixou Gesmar solto, maltratado, resgatando-o somente agora, quando percebe que esta tudo perdido. Ora, Gesmar era um dos melhores quadros desse desgoverno, não merecia tal tratamento. O candidato natural seria  Horácio, com base e custo menores e maiores chances de eleição. Tinha base, conhecimento e já fora secretario estadual, enquanto Gesmar nunca se candidatou a nada, nem mesmo em Parauapebas, tirando uma candidatura a vereador, derrotado.

Pergunto insistente. Cadê os auxiliares diretos de Valmir da Integral? Cadê os “tais” profissionais, com histórico retumbante, com extrema capacidade gerencial? Nos deram esta “merda” de gestão? Parece gozação e  merece maus tratos de volta. Até agora ninguém resolveu nada e nem estão no rumo de resolução alguma: Mauro  Santos e seu “poder” na capital, Gilmar e sua ternura alienígena, Queiroga e sua bandidagem, Vander e sua ignorância inata, provando do seu próprio veneno e estupidez, a procuradoria de nada, a comunicação social que parece estar noutro mundo, vendendo uma mercadoria podre, com bolor mas transvestida de rosa. Merda retumbante e não conformo com jovens capacitados sendo sufocados por uma ilusão em que não acreditam, não respeitam. Este desgoverno não tem profissionais, apenas um bando de incompetentes mentirosos. Tirado os profissionais de carreira, os concursados, o corpo técnico realmente capacitado, os cargos de confiança são todos escolhidos pelo desconhecido, pela incompetência e exclusivamente pelo apadrinhamento inescrupuloso. Assim como a maioria das empresas que prestam serviços e estão ganhando rios de dinheiro, como a Falconi, o Paulo Haddad e tantas outras na ilusão do milhão. Quero salientar que lamento o Falconi ter entrado nesta desgraça. Afinal é de lustro internacional e orgulho, mas aqui, nem isto deu certo. E agora esta cobrança na justiça da LUPA, firma do secretario Semurb – André Rosa. E nem na prestação de contas estava o contrato ou quaisquer menção ou pagamento a ela. Problemas nas contas de campanha a vista.

E acreditem, vinham Jaime Lerner, BRTs, capela de Niemayer, Centro administrativo e tantas coisitas mas que é difícil acreditar como ainda achei que poderia acontecer, conhecendo o cenário e os péssimos atores convidados...


Valmir da Integral aproveita a situação e vinga de seus rebentos. Flavinha veio a Parauapebas para interditar Valmir. Certamente não o conhecia... Alessandro passou a vida toda na sombra do pai moleque. Não deu passo independente. Era natural que formasse a famiglia que formaram e se colocando em pontos estratégicos, desviasse alguma coisa para a bolsa família. Estão sendo eficientes, estão muito mais ricos. Há muitos desvios para a horta de Alessandro, a Flavia ostenta publicamente a fartura de não contar dinheiro.  É o símbolo da justiça de Parauapebas e seu comprometimento com o executivo. Mesmo determinado seu afastamento por um juiz, Valmir ignorou solene nomeando-a secretaria. E com poderes sobre Agenor, o rei da licitação e da economia em causa própria. O milionário Agenor,  dono de rebanhos, mansões, carros de luxo e tudo o mais que um esquema que dura décadas proporciona. Agenor, Eunice, Mendes, Ademir, Mauro  Santos, alguns procuradores e ainda uma turma enorme tem muito de Parauapebas no bolso e nas contas bancarias.

Estes filhos, quando for condenado o pai a ressarcir os cofres públicos, são quem pagarão com a herança. Acabarão pagando  a conta da festa, não há almoço grátis.

Voltando aos apoios públicos ou forçados  a que todos os que tem de débitos ou precisam de alguma forma da prefeitura, é de uma arrematada vergonha a execração pública. Não precisava. Se tornaram cúmplices de crimes hediondos, dando apoio sem perguntarem para que e a quem não merece. Valmir da Integral  esta sendo acusado  porque cometeu crimes. De toda sorte com nosso dinheiro, com nossas vidas e esperança. Todos que o apoiaram e apoiam são tão ou mais bandido do que ele. O fato do traficante dar empregos na comunidade não legaliza sua atividade. Assim é aqui, em relação os crimes cometidos, as acusações, todas com fundamento, provas inequívocas.  É uma questão  de tempo – um tempo que é naturalmente da lei, não nosso tempo – o que quer dizer que também possa não ser possível influencias e etc, mas é a lei brasileira. Aconteceu no lava jato, aconteceu até com as grandes empreiteiras, com bancos, com Rede Globo. Porque não vai acontecer aqui? E não temos tanto dinheiro assim, daqui de onde se tira, há regras claras e precisas, quanto mais tira no desespero, mais se enrola.

Não acredito que estejam dormindo.

A oposição – e diga-se de passagem, nunca nenhum executivo enfrentou uma oposição estruturada, organizada e com planejamento como esta que perdurou ate janeiro 2015. Esta é a diferença para as dores de cabeça dessa turma. Mas não apenas isto: conseguimos deter a roubalheira, as obras fantasmas, o desvio descarado de recursos. Esta em suspenso ou mais lento. Mas estão com medo, perderam a altivez e o descalabro, ao menos reduziu.

Agora falando do Brás. Como este ser era  apenas mais um rato e disfarçado. Como pode, com tanto cinismo e desfaçatez servir ao diabo, com jeito, arrogância e competência. Talvez para tentar salvar a própria pele na pela de sua dileta esposa – Maquivalda – da cadeia. Por tanto recebido e tão pouco entregue. Por tanta arrogância, ignorância e incapacidade frente aos desafios confiados. O crime mais citado, a desapropriação de terrenos tem na Maquivalda a protagonista. É ela quem teve a ideia, quem induziu, quem levou aos fatos. E seguramente quem levou a melhor fatia. E Braz se acha no local e momentos certos – para se enforcar. Mostrando realmente seu espirito de jogo, ataca sem a retaguarda, faz o torneio dos perdidos. Deveria se retratar publicamente.  Joga uma partida inútil, todos eles e seu chefe supremo – Leviatã, ou satã, ou Valmir. Brás, a Câmara dividida, o time do mal capitaneados por ele, Odilon, Devanir, Major e restante, contra o outrora e saudoso G5 intrépido, agora nem tanto. Mas ainda os mais jovens, os melhores (Dr. Charles, Bruno, Arenes, Pavão e Eliene). Causa preocupações o destino da CPI DA SAÚDE. É uma atitude  que não pode morrer antes de  procriar. Tudo começou com o Conselho Municipal de Saúde, ninguém se esqueça. D. Leonice e Dr. Mardem deram o caminho, puxaram o pavio. Sistematizamos a revolta e estruturamos a maior derrota que um executivo já experimentou nesta cidade. Apesar da truculência e utilização do perigoso aparelho repressor do estado do Pará – sua policia militar para se encastelar no poder este prefeito sabe dos seus últimos dias.


Sua equipe (equipe?) não sabe jogar. Menospreza os resultados e fazem acordos inúteis, impagáveis.  Não combatem na real, ignoram fatos relevantes, expõem ainda mais seu rei agora encurralado. Na visão perneta dos asseclas, o jogo ainda pode ser ganho. Jamais. Jogam uma partida perdida. Não tem mais a liberdade de antes, temem todos os segundos, nada é mais seguro para eles.


Mantenho a pergunta inicial. Como pode os bons silenciarem tanto? Cadê a sociedade legal e organizada?  Realmente Parauapebas merece o que tem?