Twitter Feed Facebook Google Plus Youtube

21 março, 2015

Miseria e pobreza na selva da mineração. A amazonia agoniza sob a exploração da VALE

UMA POBRE CIDADE DA
AMAZONIA BRASILEIRA
Como Parauapebas no  sul do Pará, com seu faturamento recorde sendo a segunda cidade brasileira em exportações  ainda vive na idade media.








Um prefeito afastado pela Câmara dos Vereadores, respondendo dezenas de processos e investigações na PF, MPE, MPF, com todos os órgãos de controle social a postos vigiando seus passos, usa a policia  militar do estado para impedir que detentores de cargos públicos, eleitos como ele, a prefeita empossada e vereadores a adentrar o edifico publico sede da prefeitura .

Uma demonstração típica de  senhores feudais em seus castelos e cidades muradas, déspota de transtornos e crimes de toda ordem, em claro acinte as normas legais do pais, a constituição federal,  estadual, a lei orgânica do município e ao regimento da Câmara, comentada em todas as esquinas, blogs e botequins.

E o pior, um burgo no seu pior momento, com invasões de toda ordem, até projetos do minha casa, minha vida sendo USURPADOS  pelo prefeito afastado, na sua imensa ânsia de mostrar que esta tudo certo – não esqueçam dos processos, de investigações em curso no MPE, no TJ-PA, em  obras que ele nunca fez. E mais, pobreza, divida de famílias explodindo, produção mineral em decadência, com os preços do minério de ferro sendo pulverizados na Ásia.

E ainda pior, gestão sucateada, saúde parada, limpeza urbana em frangalhos, tudo virtualmente parado, apenas a maquina ilusória de propaganda do executivo funcionando.

E talvez ainda o pior, um grupo de oposição indeciso numa Câmara de Vereadores  fragmentada  e o povo totalmente a parte do processo, sendo pago para se apresentar nos dias de seção, sem saber de nada do que acontece, apenas percebendo a paralisia covarde de seus serviços e direitos básicos.

E ainda, a grande VALE se aproveitando do momento e retirando mais e mais minério sem controle, sem  prestação de contas,  das terras da pobre Parauapebas.
Este foi o cenário da matéria da RECORD. Vejam as fotos e sintam conosco o terrível momento que passamos.

O LINHÃO: a absurda realidade da pobreza que os chefes políticos e as tais lideranças ignoram. Visitamos um casebre as 16:40 da tarde, uma família, mãe e cinco filhos ainda sem comerem nada. Um ainda mamando o peito da mãe.

Noutro, uma velha senhora, que perdeu seu velho marido em decorrência das explosões sem horário ou responsabilidade da VALE MINERADORA, na ânsia de construir sua linha de ferro urbana, sem estratégia ou pensamento futuro. Crianças em idade escolar pelas ruas, carregando água, vivendo sob as torres de alta tensão que levam energia para a maior mina de ferro do mundo... me senti envergonhado, impotente ante tanta incongruência desse meu pais.

 http://minhateca.com.br/exclusiva01/Galeria




























OBRIGADO  REDE RECORD.
A presença de sua equipe lançou um pouco de luz nas trevas dessa pobre “rica” cidade do interior esquecido do Pará.

05 março, 2015

uma troca de comando na gestão de Parauapebas

GESTÃO NA CURVA DA HISTORIA

Prefeito de Parauapebas afastado por improbidade administrativa. Vice Angela Pereira assume para um mandato popular.




Veja estes cidadãos se desesperando, invadindo espaços no grito, tropeçando, caídos ao chão. Eles não estão defendendo ninguém, um ideal, nada. Defendem seus interesses, seus bolsos, seus cartões de credito e suas mamatas. Confiamos a eles a gestão dessa rica província e eles nos traíram. Foram arrogantes, mentiram, aproveitaram das facilidades e sobretudo  esqueceram sua verdadeira missão: respeitar limites, lembrar do povo.
 

 Zoenio, Leudicy, Gilmar, Carmen, Ouvidora - Ridicularizados.

 Agora veja estes cidadãos abaixo. Observam seus rostos, seus ritos, sua reação. São secretários de governo que não fizeram seu trabalho. São pessoas que nestes dois anos apenas se posicionaram como salvadores de nada. Nunca entenderam o que faziam, apenas recebiam salários, propinas, discutiam o trivial e se encrencavam. Perdidos ante tantas possibilidades simplesmente não sabiam o que fazer, principalmente tendo um chefe tonto, irascível que nunca tinha ordens a passar. A incompetência do grupo era a incompetência do chefe. Perdidos num abraço  suicida nem perceberam a vertiginosa queda no abismo da arrogância, do poder excessivo,  no afrontar das leis e do desrespeito as regras de governança pública.


 

























 

Porisso estão aqui. Com este humor enfezado, com esta visão torta, numa incompreensão absurda dos acontecimentos. Se achavam blindados por advogados de Belem e pelo  governador do estado, tinham acertos com o tribunal de contas, acreditavam que todos eram iguais, estavam de passagem. É lamentável mas ainda não entenderam os acontecimentos.


Sempre os vereadores foram vistos como recipientes sem fundo. Sem sentimento, honra ou princípios. Apenas levar para casa os milhões da população ignorante, que a cada dois anos entregam um cheque em branco, assinado e vão para casa. Esta imagem do povo burro e corrupto é um acinte, uma imoralidade. Simplesmente porque os homens não são iguais. Os analistas e doutores do Morro dos Ventos achavam que todos os vereadores seriam iguais. E os massacraram. Os usaram.

A ponto de Bras agir como agiu. Arrogante, incapaz porque não viu suas limitações, não se preparou para este momento de sua vida: decidir. Pelo certo. Mas jamais ele poderia optar pelo correto. Sua própria esposa participa de negociatas milionárias e servem diretamente  o prefeito. Investigada e sob suspeição, Braz jamais poderia ter agido como agiu. Tumultuar uma sessão legitima e dentro do regimento é impensável até para escoteiros, quanto mais para vereadores de uma rica e poderosa cidade. Um rato.

Odilom e Devanir, memes de si, agiram da pior e mais execrável forma. Como cidadãos velhos e com compromissos imensos, deveriam ter entendido Valmir da Integral. Deveriam ter se afastado, pelo menos em respeito a confiança que alguns colocaram em suas mãos. Insistem numa tese viciosa de que o poder é  tudo. Não  é.


Major, cacoete de si, e o restante da tralha deveriam ir para casa. Estão ricos, não precisam de pessoas, precisam de votos. Vão curtir para sempre a vergonhosa atitude publica, numa casa que os acolheram para legislar. Nunca executar. Foram eleitos para legislar, corrigir, vigiar. Deram o bote nas ovelhas, estes memes irresponsáveis e agora devem refletir. O povo deve cobrar este cheque agora. Eu  cobro.

Dr. Charles, Pavão, Arenes, Bruno e Eliene são jovens. Tem visão de longo prazo, estudam. Precisam do crescimento pessoal como se fossem adolescentes e se rebelaram. Mesmo quando  todos torciam o nariz, quando eram agredidos, sabiam de suas convicções. E chegamos até aqui. Um momento que os  historiadores no futuro definirão como uma nova realidade politica. Uma nova chance para Parauapebas.  Estes jovens legisladores se inscrevem numa galeria especial de respeito, de iniciativa e de trabalho exemplar.

Agora Dra. Leonice e Dr. Marden. A razão de tudo isto. Sua atitude exemplar frente ao CMS e em repudio aos desmandos do Dr. Romulo, fomentaram esta reativa e nos aglutinou num ideal. O afastamento do tresloucado prefeito Valmir da Integral. Foram meses de muita luta, de senhas, derrotas e união. Foram meses de estudos, de estratégia, de busca. De reuniões, conversas e de ação jurídica e politica. Muito ainda esta por vir.


Acredito que agora cabe ao povo e as lideranças sociais tomarem este novo governo. Ângela Pereira esta preparada para mudar os rumos, propondo e executando um governo popular. Baseado na demanda das massas, dos fracos e oprimidos.

Rumo a uma nova era!